COMO ISRAEL ESTÁ SALVANDO AS ABELHAS

Por Shoshana C.

A SÍNDROME DO COLAPSO DAS COLÔNIAS (CCD) está afetando países produtores
de mel, o que está ocorrendo muito menos em Israel, graças a inovações estratégicas, estando a
situação estável.

A estas alturas do Ano Novo Judaico(5777),esta é uma ótima notícia,já que grande parte
das receitas culinárias levam mel,como perspectiva de um ano novo doce e feliz.

Mas sob o ponto de vista da produção,as abelhas têm um papel importante na agricultura,
polinizando plantações.

Em Israel a população de abelhas declina 10% a cada ano,enquanto nos Estados Unidos,
30 a 50% e segundo Hertzel Avidor,superintendente nesta área, relata que há pesquisas sob todos os ângulos biológico e botânico para se estimular as abelhas na produção de mel.

O Conselho Israelense ajuda aos quinhentos produtores de mel a implementar táticas
inovadoras para manterem cento e dez mil colmeias.A pequena redução das abelhas não afeta
o suprimento de mel em Israel,pois a cada ano novas colônias são introduzidas para
compensar a perda.

O clima é a principal variante para o alcance anual de três mil toneladas.

O passo primordial para se evitar o CCD é seguir as indicações para se erradicar o ácaro VARROA,o parasita responsável pela síndrome.

Outra estratégia para que as abelhas sejam mais saudáveis e mel mais saboroso, são as oitenta a cem mil mudas variadas,especialmente eucaliptos,plantadas a cada ano para prover às abelhas uma dieta variada e abundante apesar da perda de áreas verdes para a urbanização.Estas mudas são distribuídas
gratuitamente por órgão governamental israelense.
Planta-se eucaliptos ao longo das fronteiras com Gaza e Síria,não só para alimentar as
abelhas mas para proteger esta área de tensão, a” winwin situation”–situação de ganho,de benefício dobrada.

Como os apicultores têm terras mas não flores e arbustos suficientes, há esta cooperação governamental de grande valia para todos: Israel fica mais verde enquanto atrai as abelhas para produzirem um mel categorizado. Povo e produtores beneficiados .

Graças às espécies de plantas, árvores introduzidas que florescem no inverno,não se torna
necessário nutrir as abelhas com água e açúcar nestes meses frios o que possibilita a produção de mel mais saudável. A pesquisa volta-se para as plantas que as abelhas mais procuram,pois plantas e mel estão conectados diretamente.

Como em encontros internacionais Israel expôs em palestras sua produção, países estrangeiros
se interessaram.Há um catálogo em língua inglesa listando as mais ricas mudas e sementes em néctar.

O sabor varia de acordo com o tipo de flor.A maioria do mel vendido em Israel contém mistura de
diferentes fontes incluindo laranja, ameixa, eucalipto, abacate,alfarroba, tomilho

Foi relatado que em Kansas as abelhas se alimentam só de grãos de soja e milho,uma dieta pobre,sendo mais frágeis,ocasionando a síndrome,pois não são tão fortes como as que têm uma dieta variada de flores diversas.

Os americanos ficaram surpresos ao saber que o governo subvenciona as mudas e sementes,
pois em outros países simplesmente aconselham a plantar, sem ajuda financeira ou tecnológica.

O físico Albert Einstein disse:

“Se a abelha desaparecer da face da terra,a humanidade terá
apenas mais quatro anos de existência;sem abelhas não há polinização,não há
reprodução de flora,sem flora não há animais,sem animais não haverá raça humana”

Fonte:Israel 21C, através do “Jerusalem Post”
Globo Rural–Campo Aberto

Bookmark the permalink.

Comments are closed.