Israel e seu Verdejar

Por Shoshana C.

 

 Deserto+Areia= Floresta,Bosque

                            

                     A primeira conferência de jovens líderes da América Latina para o melhor conhecimento do que a KKL-GNF (fundo nacional  cujo  objetivo é  reflorestar o país, sendo a organização verde mais antiga do mundo) vem realizando, aconteceu entre 27/12/2016 até 4/1/2017 em Israel.

A função deste órgão não é só reflorestar e sim atuar no desenvolvimento do país.

Foram reunidos voluntários e profissionais do Brasil,México,Argentina,Uruguai,Chile,Equador

e Cuba  sendo o propósito o aprendizado e a troca de experiências.

O grupo tomou contato com os vários projetos que aconteceram e acontecem:Parque do Lago Hula,Bosque Biria com seu caminho dos Justos ao norte,Parque Ariel Sharon ao centro, Aravá ao sul de Israel.

 

Na Aldeia de Reabilitação Neguev-Nahlalat há pessoas com necessidades especiais onde foi realizado um trabalho que mudou a qualidade de vida dessas pessoas: edifícios residenciais,clínica,piscina hidroterápica, equitação terapêutica,um canto para terapia com animais, oficina de trabalhos manuais.

Quinhentos pacientes aí vivem ,recebendo anualmente mais de 1800 pessoas para tratamento ambulatorial.

Jardins e áreas verdes cercam o local.Sendo um área muito quente, o paisagismo com seu elemento verde atua muito positivamente na  vida dessas pessoas.

Em Guilat há um “berçário(nursery),onde milhares de brotos de árvores e arbustos são cuidados para posteriormente serem replantados nas florestas,locais públicos onde em geral o clima quente e o solo árido maltratam as pessoas.

 

No lado ocidental do deserto de Neguev na comunidade de Naveh há um espírito de pioneirismo.

É uma área localizada a cerca de 5 km da Faixa de Gaza,onde era uma rota de contrabando

de drogas,armas e tráfico humano. A KKL teve um papel único no estabelecimento dessas cidades, construindo casas,edifícios públicos,campos de agricultura, playgrounds.

Por volta de nove anos passados só havia areia neste local.Ninguém nunca aí viveu.

Há infra estrutura, não só belos jardins .O representante do Equador,maravilhado, disse que quando realmente se acredita num sonho, luta-se por ele então ele acontece.

Mente e  mãos dos homens operando milagres com a perseverança.

 

Parque do Lago Hula—no centro do Hulla Valley,na Galileia foi restaurado depois da drenagem em 1950, para erradicação da malária. Foi trabalhado uma área própria para a agricultura.

Atualmente se transformou num parque aclamado internacionalmente,um rico ecossistema que incentiva o ecoturismo.

É um refúgio para pássaros–vegetação diversificada e vida selvagem.

Os turistas encantam-se com os locais onde podem observar os pássaros migratórios (duas vezes por ano), águas repletas de peixes, áreas para recreação, podendo-se passear de bicicleta,veículos e a pé.

” Hula Lake Park” ganhou reconhecimento mundial como um dos mais importantes locais de apreciação, inclusive para fotografias.

Ganhou o nono lugar entre vinte no mundo sendo julgado por trezentos conhecedores,entre eles cientistas,ecologistas e fotógrafos.

 

Bosque Biriya—- no alto da Galileia,

É uma floresta inclinada ao norte de Israel e a maior plantada na Galileia.

Há uma variedade de locais fascinantes: florestas,bosques,fontes,uma sinagoga muito antiga, flora diversa,trilhas, áreas de recreação,vistas panorâmicas.

No meio da floresta está a Fortaleza de Biriya,um local de determinação do povo judeu de habitar sua terra.

Alunos e turistas podem aprender visualmente e interativamente sobre a história local,seu

reflorestamento e sua natureza.

É um local de clima agradável mesmo no verão,com flores diversas ,campestres, brotando.

A história conta que era uma área dominada pelos britânicos e que o povo de Israel se revoltou, muitos foram mortos mas insistiram e ali continuaram até que o exército britânico desistiu, permitindo que os pioneiros ali ficassem.

A área de Ein Zeitim de recreação tem mesas para piqueniques,água de fonte potável,playgrounds para crianças.

Frisamos que não são áreas naturais.São locais onde houve um planejamento estrutural com estudos por engenheiros,cientistas,silvicultores,agrônomos,paisagistas, idealizados, concretizados muitas vezes arduamente pelo homem.

Continuaremos,no próximo artigo, sobre outros locais dignos de serem visitados,onde o verde e  o colorido das flores se entrelaçam com o ser humano num viver de paz e alegria.

O povo de Israel não esmorece,não desiste.
          No incêndio ocorrido em novembro de 2016, cerca de dez mil árvores frutíferas foram
destruídas.
          Neste ano,no dia 11 de fevereiro  de 2017 será Tu B’Shvat.–o Ano Novo das Árvores Frutíferas(Talmud Rosh Hashana)
          Há o projeto que será concretizado de se plantarem o mesmo números de árvores nos mesmos lugares .

 

 

PS —Fonte-Jerusalem Post

Bookmark the permalink.

Comments are closed.