Vinhos de Israel

Por Shoshana C.

A vinicultura tem uma ligação com a terra de Israel.Foram encontrados em estudos arqueológicos,utensílios antigos usados na fabricação de vinho,provando que a atividade vinícola existe desde séculos passados na região.
No século XIX,tendo grande parte dos judeus retornado a Israel ,vinhedos foram novamente plantados.
Por volta de 1882 o barão Edmond Rotschild,filantropo,colecionador francês ,estabeleceu colônias e vinhedos,abrindo duas grandes vinícolas em Rishon Le Zion e em ZikhornYa’ako ;a vinícola Carmel por ele fundada, até hoje existe—trouxe uvas plantadas na França.
O clima de Israel,dependendo da zona geográfica,se encontra entre dois pólos:desertos da África e Ásia ,árido e úmido na zona mediterrânea.É bastante diversificado:como já havíamos mencionado em um artigo anterior,pode-se esquiar ao norte e freqüentar uma praia ao sul ou outro determinado lugar, na mesma hora local .Desde os anos 80,os vinhos israelenses vêm sendo mais qualificados,pois espécies de uvas nobres foram plantadas em locais mais frescos.
Nas colinas da Judeia ,de clima mediterrâneo ameno pelo solo com a presença de calcário, e também de colinas,o produtor Domaine Castel produz vinhos ricos de sabor regional,mundialmente aceitos.
Atualmente são seis mil hectares de vinhedos ,a maioria nas montanhas de Samson e Samaria.
As uvas Merlot,Sauvignon,Blanc,Chardonnay e Cabernet Souvignon são as mais prestigiadas.
O deserto de Neguev,com temperatura média durante o dia que chega a 45º ,necessita de irrigação especial de alta tecnologia cultiva uvas bordalesas e mediterrâneas donde são extraídos vinhos especiais aprovados pelos mais exigentes sommeliers.
País pequeno de fronteiras estreitas e tradição milenar na vinicultura,Israel investiu em pesquisas e técnicas de produção tendo como exemplo os grandes produtores mundiais e que foram adaptadas à diversidade climática do país.
Luciana Fróes,crítica de gastronomia do Jornal Globo,numa entrevista após visitar Israel,comentou:”Aprendi que oito horas são suficientes para se percorrer todo o país” e continuou,dizendo que foi com uma dezena de indicações positivas,degustadas e descobertas”praticamente uma descoberta por dia”.Diz que” são cerca de trezentas vinícolas ativas espalhadas pelas colinas de Jerusalém,Golan,Judeia,Galileia,deserto de Neguev donde sai o vinho Yatir cujas vinhas Cabernet Souvignon blanc e viognier crescem em um sítio arqueológico de três mil anos.”
Há um passado histórico em franco desenvolvimento do cultivo até a produção aprimorada desses vinhos israelenses que são exportados pelo mundo ,inclusive para o Brasil.
PS :sommelier—profissional especializado,conhecedor de vinhos ,que trabalha em restaurantes e lojas de vinho.

Bookmark the permalink.

Comments are closed.